Budismo

O budismo afirma ter cerca de 300 milhões de membros no mundo, com cerca de 200.000 na Europa Ocidental e na América do Norte respectivamente, 500.000 na América Latina e 300.000 na União Soviética. A maioria dos adeptos do budismo, porém, ainda se encontra em países asiáticos, como Sri Lanka, Myanmar (Birmânia), Tailândia, Japão, Coréia e China.

 

Sidarta Gautama o Buda

As principais fontes que temos sobre a vida de Buda baseia-se principalmente na evidência dos textos canônicos,  segundo eles Sidarta Gautama, o fundador dessa religião,  viveu no norte da Índia no sexto século . Aos dezesseis anos de idade ele casou-se com sua prima, a  princesa Iasodara. Por uns treze anos após seu feliz casamento ele levou uma vida de esplendor, desconhecendo  como seria da vida fora dos portões do palácio.
. Em seu 29.° ano, que marcou o ponto de virada em sua carreira, nasceu seu filho Rahula. Ele entendeu que todos, sem exceção, estavam sujeitos ao nascimento, à doença e à morte.
Ele deixou a casa cortou o cabelo, vestiu a roupa simples de um asceta, e saiu a peregrinar como Buscador da Verdade.

A Iluminação

Foi quando, pela primeira vez na vida, ele viu um enfermo, um ancião e um cadáver. Esta experiência deixou-o aflito com relação ao significado da vida — Por que os homens nascem, apenas para sofrer, envelhecer e morrer? Daí, informa-se que ele viu um homem santo, que renunciara o mundo em busca da verdade. Isto impeliu Gautama a renunciar sua família, seus bens e seu nome principesco e passar os seguintes seis anos buscando a resposta de mestres e gurus hindus, mas sem êxito. Os relatos nos dizem que ele dedicou-se a um proceder de meditação, jejum, ioga e extremo desprendimento, não obstante, não encontrou nenhuma paz ou iluminação espiritual.
Por fim, ele veio a perceber que seu proceder de desprendimento extremo era tão inútil como a vida regalada que levara antes. Adotou então o que chamou de Caminho Médio, evitando os extremos dos estilos de vida que seguira antes. Decidindo que a resposta devia ser encontrada na sua própria percepção, ele sentou-se para meditar debaixo de um pipal, ou figueira-dos-pagodes indiana. ele continuou firme em sua meditação por quatro semanas  até que supostamente transcendeu todo conhecimento e entendimento e atingiu a iluminação.
Por esse processo, na terminologia budista, Gautama tornou-se o Buda — o Despertado, ou Iluminado. Ele atingira o derradeiro alvo, Nirvana, o estado de paz e iluminação perfeita, libertado do desejo e do sofrimento.  Alguns  de seus seguidores encaram-no estritamente como ser humano que encontrou o caminho da iluminação para si mesmo e ensinou-o a seus seguidores. Outros encaram-no como o último duma série de Budas que vieram ao mundo para pregar ou reavivar o darma.

Seus ensinamentos as 4 nobres verdades

 (1) Toda existência é sofrimento.
(2) O sofrimento vem do desejo
(3) A cessação do desejo significa o fim do sofrimento.
(4) Consegue-se a cessação do desejo seguindo-se o Caminho Óctuplo, controlando a conduta, o pensamento e a crença da pessoa.

Em seu leito de morte o Buda disse a seus discípulos: “Buscai a salvação apenas na verdade; não procureis ajuda de ninguém, exceto de vós mesmos.
Ele considerou  corruptas as práticas religiosas promovidas pelos brâmanes hindus. Rejeitou o ascetismo dos jainistas e outros  místicos. Acabou com os sacrifícios e rituais não adorou a nenhum dos milhares de  deuses do panteão indiano, rejeitou o sistema de castas e prometeu a iluminação a todas as pessoas que seguissem seu caminho.
Tento se espalhado pelo Japão china e tibe depois de considerada expansão aos poucos foi perdendo a força na índia havendo quase desaparecido no século 13.
No século 20. Milhares de mosteiros e templos foram destruídos e centenas de milhares de monges e monjas foram afastados, aprisionados ou mesmo mortos. Mesmo apesar destes fatos o budismo permanece vivo e sua influência e crescente no mundo.

O Nirvana

. E o que é o Nirvana? Os textos budistas dizem que é impossível descrever ou explicar, podendo apenas ser vivenciado. Não é um céu, para onde a pessoa vai após a morte, mas sim uma consecução que está ao alcance de todos, aqui e agora(estado de espírito?). Afirma-se que a própria palavra significa “apagar, extinguir o Nirvana seria como a cessação de toda paixão e desejo; uma existência isenta de todo sentimento sensorial, como a dor, o medo, a ânsia, o amor ou o ódio; um estado de eterna paz, descanso e imutabilidade. Essencialmente, diz-se ser a cessação da existência individual.
O Buda ensinou que o  Nirvana  vem, não de algum Deus ou força exterior, mas sim de dentro da pessoa através de seus próprios empenhos em boas ações e pensamentos corretos, dependendo unicamente dos empenhos da própria pessoa. Sua exortação de despedida a seus discípulos foi: “Confiai em vós mesmos e não confiai em ajuda externa; apegai-vos à verdade como uma lâmpada; buscai a salvação apenas na verdade; não procureis a ajuda de ninguém exceto de vós mesmos.

.