Adventismo

ADVENTISMO DO 7º DIA – (IGREJA ADVENTISTA DO 7º DIA)

ORIGEM:

Início do século 19: nessa época muito pouco se estudava sobre a 2ª vinda de Cristo. Um pastor Batista do Estado de Nova Yorque, nos Estados Unidos chamado Guilherme (William) Miller, com auxílio da chave bíblica completa de Cruden, dedicou seu tempo ao estudo e à pregação desse assunto. As suas pregações tinham como âncora a passagem de Daniel 8:14: “Ele me disse: até duas mil e trezentas tardes e manhãs; e o santuário será purificado”. Através dessa profecia e do regresso de Esdras do cativeiro, no ano de 457 a. C., Miller baseou seus cálculos prevendo a 2ª vinda de Cristo à Terra. Para isso foi levado em consideração que cada um dos 2.300 dias da profecia de Daniel representava um ano. Feito assim, Miller obteve uma data exata, sendo estipulada em 21 de março de 1843 ( essa previsão foi feita em 1818). O tão esperado dia chegou e nada aconteceu. Então, Miller refez os cálculos e anunciou uma nova data para a volta de Cristo, justificando-se qur havia errado por um ano, sendo a data 21 de março de 1844.
Ao chegar a data, Miller e seus seguidores (+- 100 mil) sofreram nova decepção. No cálculo e nova data: 22 de outubro desse mesmo ano (1844). Outra falha. Finalmente Miller confessou que havia se equivocado em seu sistema de interpretação da profecia bíblica, o que fez publicamente  e através de seu livro: A História da Mensagem Adventista, pág. 410). Miller morreu com 68 anos incompletos e desde que se arrependeu de suas idéias, permaneceu como cristão humilde e consagrado. Apesar disso, nem todos os seus seguidores desistiram de suas idéias e três grupos se uniram para formar uma nova igreja, baseada numa nova interpretação da mensagem de Miller. Essa nova interpretação teve origem numa” revelação” de Hiram Edson, que dizia que Miller não estava equivocado com relação à data da vinda de Cristo e, sim, no que diz respeito ao local, pois Cristo havia entrado no santuário celestial, na data profetizada por Miller, e não no Terrenal e desse modo teve início a obra de purificação. Entre os três grupos que apoiaram Hiram Edson, 2 deles deram uma contribuição importantíssima para a formação da seita hoje:
1º grupo : dirigido por Joseph Bates, observava o sábado – 2º Grupo: ênfase aos dons espirituais, com relevância ao de profecia. Entre os seus membros, a senhora Helen Harmom White, a profetisa Hellen White do Adventismo do Sétimo dia, responsável pela maior parte da formulação doutrinária dessa seita. A Igreja foi realmente organizada em 1860.

2-  DOUTRINAS E REFUTAÇÕES BÍBLICAS:

 

2.1  A guarda do sábado.

Para o adventista, o sábado é lei de Deus em vigor, sendo o dia de repouso. O sábado, conforme o método de horário judeu, tem início às 18 horas de sexta feira e finda às 18 horas do sábado propriamente dito. Eles acreditam serem o único grupo cristão correto, em detrimento das demais igrejas, visto que guardam o sábado. Essa guarda do sábado, segundo eles, teve sua restauração quando Helen G. White teve uma visão (revelação), onde Jesus teria descoberto a Arca do Concerto, e, nas tábuas da Lei, o quarto mandamento estava rodeado por uma auréola de luz, indicando o quanto Deus se agrada desse dia e que deveria, assim, voltar a ser guardado, conforme a Lei. Ela afirma ainda que quem guarda o sábado tem o selo de Deus, enquanto que os que guardam o domingo tem o selo do Anti-Cristo, ou seja, receberão a marca da besta.

REFUTAÇÃO:

O Novo Testamento repete pelo menos:

  • 50 vezes o dever de se adorar só a Deus.
  • 12 vezes a advertência contra a idolatria.
  • 4 vezes a advertência para não tomar o nome de Deus  em vão.
  • 6 vezes a advertência contra o homicídio
  • 12 vezes  a advertência contra o adultério.
  • 6 vezes a advertência contra o furto.
  • 4 vezes a advertência contra o falso testemunho.
  • 9 vezes a advertência contra a cobiça.

Com isso verificamos que em todo o Novo Testamento não foi encontrado o mandamento de  se guardar o sábado. Sabemos que o Novo Testamento ratifica o que está no Velho Testamento. Em Mateus 5:17 e 18, diz: “ Não penseis que vim revogar a lei ou os profetas; não vim para revogar, e, sim, para cumprir. Porque em verdade vos digo: até que o céu  e a terra passem, nem um i ou um  til  jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra.” Jesus cumpriu  a Lei na sua plenitude por nós; morrendo na cruz tudo foi consumado. Estamos debaixo da graça.

2.2 – O Estado da Alma após a morte.

Segundo os adventistas, ao morrermos a nossa alma permanece num estado de silêncio, completamente inativa e  inteiramente inconsciente, isto é,  a nossa alma dorme esperando a ressurreição.

REFUTAÇÃO:
Lc 16: 22-30 – Mostra-nos o rico após a morte estando no inferno viu a Lázaro no seio de Abrãao que clamava por misericórdia, sentia sede, sentia-se atormentado, rogava em favor de seus irmãos e entes queridos pois os tinha em sua lembrança.

Apo 6: 9, 10: João viu as almas daqueles que tinham sido mortos por causa da Palavra de Deus e por causa do testemunho que sustentavam. As almas clamavam com grande voz e inquiriram o Senhor,  reconheciam a soberania do Senhor, tinham lembranças dos acontecimentos da Terra e que clamavam por vingança divina contra os ímpios.
Estes dois textos mostram a verdade que nossa alma não permanece em silêncio após a morte. Ela permanece ativa e consciente. Para reforçar, Jesus disse ao ladrão na cruz: “Rm verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso”. Isso mostra a imediata consciência da alma após a morte.

 

 

2.3 – O destino final dos ímpios e satanás.

            Segundo Spicer ( escritor adventista), o ensino positivo da Sagrada Escritura é que o pecado e os pecadores serão exterminados para não mais existirem. Haverá de novo um universo limpo quando terminar a grande controvérsia entre Cristo e Satanás.

REFUTAÇÕES:

  • Dn 12: 2 = Mt 25: 46 = Jo 5:29  = Apo 20: 10 = Dn 12:2 = Vergonha, horror e um estado de separação de Deus e não destruição e aniquilamento.

Apo 14: 10, 11 nos diz que os adoradores do anticristo serão atormentados… isto não quer dizer que serão destruídos. Ora, se o ímpio tivesse que ser destruído, então por que terá ele que ressuscitar para depois ser lançado no lago de fogo? ( Mt 25: 41 ).

2.4 – A doutrina da expiação:

  •   1844 – início da purificação do santuário celestial por Jesus.
  •  O céu é a réplica do santuário típico sobre a Terra, composto por dois compartimentos: Lugar Santo e Santo dos Santos.
  •  No primeiro compartimento Jesus intercedeu durante 18 séculos ( do ano 33 a. C. ao ano de 1844 ), em favor dos pecadores penitentes.
  •  A expiação de Cristo permaneceu inacabada, faltando uma tarefa a ser realizada que é a remoção de pecados do santuário do céu.
  •  Através dessa doutrina os adventistas declaram: “Nós discordamos da opinião de que a expiação foi efetuada na cruz, conforme geralmente se admite. “

 

REFUTAÇÃO:

A obra expiatória de Cristo é perfeita: Heb 7: 27 = 10: 12, 14:
Jo 5: 24 = 8: 36 = Rom 8: 1 = I Jo 1: 7 nos confirma que a salvação do crente é perfeita e imediata.

COMO EVANGELIZAR ADVENTISTAS DO SÉTIMO DIA?

Primeiramente demonstrando muito amor por suas vidas e declarando o amor de Deus que transcende qualquer entendimento. O mais importante de tudo é fazê-los compreender que somente Jesus Cristo cumpriu toda a lei em plenitude e que estamos debaixo da graça ( Jo 1:16) Deus os ama incondicionalmente e nos deu  o maior de todos os mandamentos: Amarás pois o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento e de tua força. Amarás a teu próximo como a ti mesmo”. ( Mc 12: 30, 31) Guardar a letra da Lei de nada nos vale, mas tem  que haver amor emm todas as nossas atitudes.

 

BIBLIOGRAFIA:  Seitas e Heresias _ Oliveira, R.F. CPAD
O Caos das Seitas – Van Baalen, J. K. Imprensa Batista Regular